domingo, 19 de abril de 2009

Ser tímido é ser discreto?

Timidez é algo que as pessoas sempre relacionaram à minha imagem. Um estereótipo comum, normal, aceitável e saudável. Saudável até certo ponto, diga-se. Quando ser tímido interfere na vida social e profissional é diferente, ela passa a não ser tão saudável assim.
É justamente o social e o profissional o ponto em que quero chegar. Nunca tive problemas em conhecer pessoas e me relacionar com elas, tampouco ser tímida interferiu na minha escolha de profissão. Claro que a maioria das pessoas - principalmente aquelas que não me conhecem ou me conheceram em um momento de calma e/ou cansaço - indagam: mas você faz jornalismo sendo tímida?
Primeiramente, nem todos os jornalistas, acredito que a maioria, não são pessoas tão falantes. Comunicativos decerto que são, pois ser comunicativo é conseguir se expressar bem ao ponto de ser entendido pelo outro, o que não significa necessariamente falar muito. Além disso, jornalismo é uma área ampla, cheia de possibilidades; um editor, por exemplo, sendo tímido, ele não encontrará a mesma dificuldade se fosse um repórter.
Outro aspecto é o meu prazer em conversar com as pessoas, principalmente as humildes. O contato individual me leva não apenas a conversar e sim criar um vínculo sincero com elas. Permitir-se é fundamental, conhecer, entender o outro e outros contextos é uma forma maravilhosa de conhecimento. Quem convive comigo no âmbito profissional/educativo também sabe que falar em público não me inquieta tanto. Se o meu objetivo é informar ou entender algo, não vejo nenhum temor nisso.
Assim, a timidez, tema dessa abordagem, é um comportamento que pode causar até mesmo alterações fisiológicas. Porém, no dia-a-dia ela é geralmente confundida com discrição, acredito que seja o meu caso. Por trás de alguém discreto há possibilidades diversas, o outro é como você, carregado de idéias e sentimentos esperando o momento certo de serem expressos.

4 comentários:

Lucas Franco disse...

Assim como há distorções no estereótipo de 'pessoa discreta', que tantas vezes é associada como tímida, eu, sendo mais extrovertido em tantos momentos, sou rotulado cotidianamente de 'contrário de tímido', e no entanto, tenho muito de timidez em mim. Ao estar num lugar diferente, pouco familiar, eu tendo a me retrair, e não me julgo a mal, acho compreensivo esse comportamento. Acho que o importante é se sentir a vontade e agir coerente as nossas sensações, o que não significa que iremos andar apenas por lugares conhecidos e familiares: na hora de falar, na hora de ouvir, há espaço para tudo, há espaço para todos nesse mundo e no jornalismo, cada um com seu ofício, habilidade, afinal, a pluralidade de essências faz do mundo ser rico e completo, com tantas variedades de descrição.

biscoito fino disse...

a lú acho que vc é uma sábia falar demasiadamente não é muito bom, vc é discreta não tão timida assim ! fala o essencial...

Naiady disse...

Bela escrita a dos teus textos, Lu.
Os temas também são legais, mas acho que me identifiquei mais com esse.

Abraço,
Nai.

Teka disse...

anháá!! agora descobri pq vc conversa mais com canna do que comigo ú.ú


outra coisa... toda vez que leio a palavra "discreta" ou "discreto" me vem a kbça um "hUUmmmm discreto, né?" auhauhuahauahauh

vc entendeu!

Minha vida duplinha mais fofa ^^